30 de jul de 2009

A INCLUSÃO SOCIAL DA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA:

REFLETINDO SOBRE O “SER CRIANÇA” NA CONDIÇÃO DA DEFICIÊNCIA

Por Celina Camargo Bartalotti

One O'Clock.....
Upload feito originalmente por charlotte.morse

A análise do “ser criança” na condição de deficiência envolve compreender dois aspectos: a concepção de criança e a concepção de deficiência. Vivemos em uma sociedade que vê a criança como um “vir-a-ser”, como um indivíduo em formação que se prepara para ser algo que ainda não é. O presente da criança, então, mostra-se como possibilidade, como uma base para o que ela será no futuro. E quando pensamos na criança com deficiência? Como se dá o olhar sobre essa criança que foge ao padrão esperado, ao desejado; uma criança que contraria, em primeira instância, o sonho, em uma sociedade marcada pela busca de uma perfeição, tantas vezes inatingível?

Essas são as questões que nortearam o arquivo que disponibilizamos aqui, apresentado no IV Congresso Brasileiro de Reabilitação, em junho de 2009.

3 comentários:

GISELE PECCHIO disse...

Celina e Bárbara,
em primeiro lugar parabéns pelo conteúdo do blog. Vou acompanhar.
Sobre a criança, não sinto que seja prioridade fora do discurso, sempre tão competente. Na prática, a criança faz parte do escopo de poucos.
Abraço meu. Gisele

Lucilane disse...

Olá Celina, sabe estou conhecendo melhor a realidades sobre inclusão social agora, através do curso de pós-graduação em inclusão social. Muitos assuntos são novos.A crianças tem direitos e como ser humano sonhos que sai do campo do direito as vezes e creio que os profissionais que lidam com elas devem na medida do possível faze-la sentir parte deste mundo, sendo amada, respeitada, instruida... seja ela deficiente ou não.Não é mesmo?
Abraço e parabéns pelo seu blog.

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog. Coloquei ele no link de blog's do meu Blog "Oásis da Educação Inclusiva - http://oasiseducacaoinclusiva.blogspot.com).
Convidos vc. para fazer uma visita quando puder e desejar.
Estamos conectadas pela visão da inclusão.
Abraços fraternos.